Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos

Tempo de leitura: 13 minutos


Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos
. Investir em títulos públicos é investir em uma modalidade de renda fixa. Modalidade que proporciona a pessoa física uma das melhores oportunidades do mercado para investir seu dinheiro com segurança e alcançar seus objetivos rapidamente.

Meu objetivo neste artigo é esclarecer algumas dúvidas sobre o Tesouro Direto e ajudar você a começar ou investir melhor seu dinheiro. Ajudar você a trilhar o caminho da prosperidade e mostrar que você pode alcançar seus sonhos rapidamente.

Fique comigo até o fim do poste e te garanto que terá uma nova visão de investimentos e o melhor entenderá que o Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos.

Mas antes de começar a falar sobre Tesouro Direto é necessário que você entenda os seguintes questionamentos:

  • O que é Renda Fixa? O que é Renda Variável?
  • O que é Tesouro Direto?  Como ele funciona?
  • Como  investir? Quais são os títulos?
  • Quais os Custos e Tributação?

O que é Renda Fixa?

Uma Maneira simples de definir os investimentos de renda fixa é dizer que eles são “empréstimos”, toda aplicação de renda fixa é um empréstimo de dinheiro para alguém. No futuro receberá de volta o dinheiro, acrescido de uma taxa de juros, exceto em circunstâncias excepcionais (como um “calote” do devedor).

Em um empréstimo você recebe  o valor que foi emprestado mais a taxa acordada . No máximo, terá algum “extra”, como correção monetária (para compensar os efeitos da inflação no período), contudo, de fato receberá apenas o dinheiro acrescido dos juros do período.

Na Renda Fixa o emprestador pode negociar com o tomador formas variadas para receber.  O tomador poderá pagar tudo no final (no vencimento). Poderá pagar os juros periodicamente e o principal no final. Poderá amortizar (pagando) o principal e os juros em parcelas. Mas o fato é que quem emprestou o dinheiro sabe quando e quanto receberá. Exceto, como já foi dito em caso de calote ou circunstâncias excepcionais. Sendo assim, emprestar dinheiro para alguém é um INVESTIMENTO DE RENDA FIXA.

Exemplos de Renda Fixa:

  • Poupança;
  • Títulos Públicos;
  • CDB;
  • Debêntures;
  • Letras de Câmbio;
  • Fundos de Renda Fixa;
  • Letras Hipotecárias.

Quem pode emitir Títulos de Renda Fixa?

Títulos de renda fixa podem ser emitidos pelo governo, por bancos, por empresas ou outros agentes.

Como é a remuneração de Títulos?

Os títulos de renda fixa pagam uma taxa de juros, com correção monetária, através de algum índice de preços.

No Brasil, os mais comuns são o IPCA e o IGP-M. Um título é chamado PREFIXADO quando é remunerado por uma taxa de juros fixa,ou seja, não varia durante o período de existência do título.

Por exemplo, se investirmos em um título que remunera a 12.5% ao ano,  assim terá direito a 12,5% do valor do título por ano até o vencimento dele.

Existe alguns títulos  que podem ser indexados a uma taxa de juros que oscila ao longo do tempo, como SELIC. Neste caso não poderá mensurar a taxa SELIC no futuro, ela pode diminuir e/ou subir nos meses seguintes.

Se aplicar em um título que remunera conforme a taxa SELIC, o rendimento poderá ser menor ou maior, conforme oscilação da taxa, isto é, um título PÓSFIXADO.

O que é Renda Variável?

O investimentos em renda fixa representam um empréstimo de dinheiro, investimentos em renda variável representam “propriedade”. Investir em renda variável é como comprar algo, na expectativa de que esse “algo” gere lucros e se valorize, por exemplo:

Comprar ações de empresas, imóveis, mercadorias ou outros ativos, na expectativa de que gerarão lucro ou se valorizarão. Isso significa aplicar em RENDA VARIÁVEL.

Esses ativos podem gerar lucro e se valorizar,entretanto, não há nenhuma garantia de que isso acontecerá, podendo inclusive haver prejuízos.

A diferença entre a renda fixa e variável é que, na aplicação de renda fixa,  saberá quanto dinheiro  receberá,independentemente do que vai acontecer.

Exemplificando podemos emprestar dinheiro para um parente ou amigo abrir um novo negócio. Esse parente ou amigo pode ficar milionário ou falir de forma espetacular. Em qualquer cenário, o que você espera é que o empréstimo que você fez seja honrado nas condições acordadas, independentemente do resultado daquele negócio.

Agora se você entrasse como sócio do negócio, sua situação seria outra. Você não teria um crédito a receber (um “direito”), e sim a propriedade de uma empresa. Você estaria sujeito ao risco de a empresa não crescer e de perder seu dinheiro. Contudo poderia se beneficiar, caso a empresa fosse um grande sucesso. Assim teria um retorno pelo seu investimento muito acima daquilo que conseguiria simplesmente emprestando seu dinheiro a uma taxa de juros previamente definida.

Quero receber as aulas GRÁTIS Agora!

O que é Tesouro Direto?

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BMF&F Bovespa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet.

O programa surgiu em 2002, com o objetivo de democratizar o acesso aos títulos públicos. Isso por que permitir aplicações com apenas R$ 30,00.

Antes de 2012, o investimento em títulos públicos por pessoas físicas era possível somente indiretamente, por meio de fundos de renda fixa, o que, tinha elevadas taxas de administração, especialmente em aplicações de baixo valor, reduziam a atratividade desse tipo de investimento.

O Tesouro Direto contribuiu para a diversificação e complementação das alternativas de investimento disponíveis no mercado. São títulos com diferentes tipos de rentabilidade prefixada, pós fixada, ligada à variação da inflação ou à variação da taxa de juros básica da economia – Selic.
Além de acessível e de apresentar opções de investimento que se encaixam aos seus objetivos financeiros. O Tesouro Direto oferece boa rentabilidade e liquidez diária, mesmo sendo a aplicação de menor risco do mercado.
Representa, portanto, uma excelente oportunidade para você realizar seu planejamento financeiro sem complicação.

Como ele funciona?

As aplicações do Tesouro Direto são realizadas através de uma corretora ou distribuidora de valores.

Essas corretoras de valores no contexto do Tesouro Direto são chamadas de “agentes de custódia”. Então, o primeiro passo para investir no Tesouro Direto é ter conta aberta em uma instituição financeira autorizada a participar do programa.

O agente de custódia atua como intermediário da transação e os títulos ficam custodiados (guardados) na Câmara de Ações (antiga CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) da BM&FBOVESPA, vinculados ao nome e ao CPF do investidor.

Como  investir?

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. Contudo, você não sabe investir no tesouro ainda? confira o passo a passo abaixo:

  • Primeiramente, você precisa ter CPF e conta corrente em uma instituição financeira.
  • A partir daí, você deverá escolher uma instituição financeira, que pode ser um banco ou uma corretora, também chamada de agente de custódia, para intermediar suas transações com o Tesouro Direto. No botão apresentado no final desta página, você encontra a lista de todas as instituições habilitadas a operar com títulos públicos federais. Também são apresentadas as taxas de administração cobradas por elas.
  • Entre em contato com a instituição financeira escolhida e solicite seu cadastramento. Você deverá fornecer a documentação necessária para que essa instituição abra uma conta em seu nome para operar com o Tesouro Direto.
  • A partir disso, você receberá uma senha provisória da BM&FBovespa para o primeiro acesso à área restrita do Tesouro Direto, em que são realizadas as operações de compra e venda, assim como consultas a saldos e extratos.
  • Troque a senha provisória por uma nova que deverá conter entre 8 e 16 dígitos, composta por letras, números e caracteres especiais. Pronto! Você já será investidor habilitado e poderá começar a investir.
  • Agora, você precisa descobrir qual título é mais adequado para alcançar o seu objetivo financeiro. Para ajudá-lo nessa escolha, utilize a ferramenta Orientador Financeiro oferecida tanto no site do Tesouro Direto quanto na área restrita ao investidor. Definido o título adequado, basta efetuar a sua compra.

Resumo do Passo a Passo

Quero receber as aulas GRÁTIS Agora!

Quais são os títulos?

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. Ele possui seis modalidade de títulos, com diferenças entre si. Ou seja, diferentes formas de remuneração.  Segue abaixo as modalidades:

  • Tesouro Prefixado: É um título prefixado, em que o valor principal e os juros são resgatados no vencimento e ou na venda antecipada.
  • Tesouro Selic: É uma modalidade de título pós-fixado indexado à taxa SELIC. Cujo valor principal e os juros são resgatados no vencimento e ou na venda antecipada.
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais: É um título prefixado, com pagamento semestral de juros e resgate do valor principal no vencimento e ou na venda antecipada.
  • Tesouro IPCA com Juros Semestrais: É um título pós-fixado, com taxa de juros fixa e correção pela inflação através do IPCA. Pagamento de juros e correção (cupom) semestral e resgate do valor principal no vencimento.
  • Tesouro IPCA: É um título pós-fixado, com taxa de juros fixa e correção pela inflação através do IPCA. Pagamento de juros, correção e do valor principal apenas no vencimento.

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. Aqui você encontra a lista de títulos públicos disponíveis para compra, bem como seus preços e rentabilidades.

A quantidade mínima de compra é a fração de 0,01 título, ou seja, 1% do valor de um título, desde que respeitado o valor mínimo de R$ 30,00. O investidor pode comprar 0,01 título; 0,02 título; 0,03 título e assim por diante.

Não há limite financeiro para venda.

Já o valor máximo para aplicação é R$ 1.000.000,00 por mês.

*Importante a rentabilidades dos títulos oscila diariamente. O exemplo abaixo refere-se ao dia 27/11/2016.

Quais os Custos e Tributação?

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos e para negociar os títulos públicos há incidência de alguns custos e impostos são eles:

  • Taxa de custódia: Essa taxa é cobrada pela BM&FBOVESPA e é fixa no valor de 0,3% dos títulos , independente de qual agente de custódia o investidor usa.
  • Taxa de administração: É a taxa pela qual o agente de custódia se remunera. Cada agente de custódia tem liberdade para estabelecer sua taxa de administração e há grande variação. Sugiro que faça uma boa pesquisa, para verificar qual a melhor para seu perfil. Mas uma coisa que deve ser observada é que a taxa de administração do Tesouro Direto costuma ser significativamente mais baixa do que taxa de administração cobrada, por exemplo, por fundos de investimento.

O site do Tesouro Direto, possui uma lista de agentes de custodias credenciadas, clique aqui e confira.

  • Tributação: Os investimentos de renda fixa no Brasil, exceto a Poupança, LCI, LCA, seguem essencialmente a mesma forma de tributação, em que se paga IOF no caso de resgate ou venda do título em prazos inferiores a 30 dias e Imposto de Renda conforme a “tabela regressiva”, onde a alíquota vai caindo ao longo do tempo:

Quero receber dicas de Investimento!

>

Você já save que o Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. Quer mais motivos começa investir? veja o simulado de quanto vai render seu dinheiro.

O Tesouro Direto possui vantagens como nenhum outro investimento. Confira!

  • Alto rendimento: Seu investimento rende conforme a taxa Selic que está em 14%, juros recorde registrado;

  • Segurança: Investimento seguro garantido pelo Governo Federal;

  • Acessibilidade: Com R$ 30,00 já pode começar a investir;

  • Flexibilidade: Possibilidade de resgate antes do vencimento, sem perder os rendimentos.

Resumo.

O Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos e não é algo exatamente novo. Foi criado em 2002 e já está entre nós há algum tempo. Porém, ainda não se tornou muito popular, em grande parte pelo desconhecimento da população e por hábitos e crenças sobre investimentos que são difíceis de mudar.

Quando se fala em investimento seguro, a maioria das pessoas ainda pensa, automaticamente, na Caderneta de Poupança, sem atentar para o fato de que existem opções ainda mais seguras, mais rentáveis, igualmente acessíveis e de baixo custo – basta dar uma olhada no Tesouro Direto.

Os títulos disponíveis atendem de forma satisfatória às necessidades da maioria dos investidores, seja quanto às formas de remuneração ou quanto aos prazos. O investidor conservador encontrará no Tesouro Direto a segurança que tanto procura, e o investidor mais ousado terá uma ferramenta perfeita para diversificar e para reduzir a volatilidade de uma carteira de investimentos de características agressivas.

DICA: Se você quer aprender a investir no Tesouro Direto para alcançar seus maiores objetivos financeiros? E ainda aproveitar uma aposentadoria tranquila? Recomendo que conheça o treinamento Tesouro Direto Descomplicado. Criado pelo consultor Financeiro RAFAEL SEABRA, Curso que tem transformado a vida de centenas de alunos.

Tesouro Direto a maneira mais simples para você alcançar objetivos. Além disso, você pode assistir a três aulas gratuitas se cadastrar seu e-mail neste link.

***RECOMENDAÇÕES***

➡ E-Book Grátis: http://investimentosinteligente.com/01
➡ Treinamento Completo: http://investimentosinteligente.com/02
➡ Aula Grátis-Como Salvar Aposentadoria: http://investimentosinteligente.com/aulagratis
➡ E-Book Alocação de Ativos: http://investimentosinteligente.com/ebook

*Fonte:
E-Book: André Massaro: http://www.andremassaro.com.br
Rico Corretora: https://www.rico.com.vc
Tesouro Direto: https://www.tesouro.fazenda.gov.br